Saber quando iniciar um tratamento com aparelho ortodôntico pode ser um desafio para os pais, demandando atenção para identificar o momento de levar ao médico para o devido controle e acompanhamento.

O uso desse item na infância, por exemplo, é bastante comum, mas é preciso encontrar a melhor idade para identificar os problemas e como resolvê-los, conforme a necessidade ou quadro que vai se desenhando conforme os dentes definitivos formam o sorriso.

Para que os tratamentos dentários sejam eficazes e de qualidade, é necessário um acompanhamento desde cedo em clínicas especializadas, com profissionais preparados para auxiliar todos os pacientes. 

Diversos tratamentos podem ser necessários durante a infância, especialmente porque as crianças têm dificuldades em ter os cuidados adequados com a saúde bucal, principalmente em relação à escovação e ao uso de fio dental.

Com essa dificuldade, é natural que a transição dos dentes de leite para os dentes permanentes seja conturbada. 

Como a criança está acostumada a ter um cuidado mais leve com os dentes de leite, elas podem não se adaptar à nova arcada dentária, demandando mais atenção nessa transição.

Dessa forma, os dentes podem sofrer com problemas estruturais, que se não tratados da maneira adequada, podem causar diversos problemas ao longo do tempo, tais como:

  • Cáries;
  • Formação da placa bacteriana;
  • Mau hálito;
  • Tártaro;
  • Necessidade de tratamento de canal;
  • Gengivite;
  • Perda dental.

Tratamentos ortodônticos

Para conciliar com os cuidados necessários à saúde bucal, mantendo a qualidade dos dentes e da boca de modo geral, o acompanhamento com dentistas se mostra fundamental.

Com o acompanhamento adequado em clínicas especializadas, as pessoas poderão ter diversos tratamentos para sanar esses problemas que mencionamos anteriormente, bem como fortalecer a estrutura, prevenir doenças e até melhorar a estética do sorriso.

Para os pequenos, esse acompanhamento próximo pode reduzir traumas, o que amplia a qualidade da saúde bucal a longo prazo, e possibilita um tratamento mais ágil e assertivo.

Contudo, no caso da má formação dental, por exemplo, diferentes técnicas de tratamento e uso de ferramentas podem ser necessários para corrigir esses problemas, como o uso de aparelho ortodôntico.

Inclusive, mesmo com os cuidados, esse tratamento pode ser necessário, visto que fatores genéticos, hábitos e alguns problemas no momento dos dentes romperem a gengiva e a formação da estrutura óssea podem influenciar na mordida e dentição.

Assim, é importante saber a melhor hora para procurar tratamentos como esse ao identificar algum incômodo ou problema específico na arcada dentária de seus filhos.

Do mesmo modo, é preciso realizar as consultas regulares, para que o dentista avalie a condição e necessidade dos pequenos, evitando tratamentos mais prolongados e invasivos no futuro.

Aparelhos para os dentes

Encontrar a melhor hora para utilizar um aparelho para os dentes nem sempre é uma tarefa fácil. Atualmente, ainda é mais comum observar adolescentes utilizando aparelho dentario do que crianças.

Isso acontece por diversos motivos, como a crença de que os pequenos não podem realizar o tratamento, mas na verdade ele também é recomendado para crianças, sempre que necessário. 

Para isso, é preciso apenas atentar-se à troca da dentição, para que o tratamento ocorra após o nascimento dos dentes permanentes.

Inclusive, justamente por essa dificuldade em encontrar a melhor hora para buscar esse tratamento que podem ocorrer dúvidas quanto ao seu início e, nesse cenário, o acompanhamento com dentistas é muito importante.

Isso porque, com as visitas regulares, não é necessário uma grande preocupação, pois os dentistas identificarão os ofensores e indicarão os tratamentos, sabendo o melhor momento para iniciar esse tipo de tratamento. 

Além disso, os dentistas podem determinar qual é o tipo de aparelho dentário mais adequado, já que existem diversas opções, cada uma sendo utilizado de maneira específica e voltada para um tratamento particular.

Tipos de aparelhos dentários

Como dissemos, existem diferentes tipos de aparelhos dentários. O primeiro que podemos falar, é o aparelho fixo.

O aparelho fixo, como o próprio nome já indica, é posicionado e fixado nos dentes, de maneira que apenas os dentistas podem fazer a retirada, tanto quando o tratamento acabar como para a troca/manutenção quando necessário.

Por ficar posicionado nos dentes o tempo inteiro, enquanto durar o tratamento, ele é eficiente, mas ao mesmo tempo pode ser incômodo, tanto para a arcada dentária como pela parte estética, além de demandar atenção para os alimentos e higienização.

Já o aparelho movel é outro modelo muito utilizado, sendo geralmente o mais indicado para as crianças, até a conclusão da troca dentária.

Ele também pode ser usado em uma segunda etapa: após o paciente realizar o tratamento de correção da arcada dentária com o aparelho fixo.

Isso porque após a retirada desse equipamento é preciso colocar a estrutura móvel para uma melhor fixação da estrutura dental, como se estivesse “educando” para o novo posicionamento. 

Esse modelo pode ser removido sempre que necessário, como na hora das refeições e antes de dormir.

Por fim, outra opção é o aparelho invisível, que é uma inovação do setor e que vem sendo utilizada com frequência nos consultórios e clínicas.

Por conta da sua aparência discreta e a mesma eficácia em tratamentos de reestruturação da mordida, ele se torna uma opção bastante interessante.

Outros tratamentos

Para finalizar, é importante destacar que existem outros tipos de tratamentos que são realizados com certa frequência nas clínicas odontológicas, para diferentes fins, mas que também visam o restabelecimento do sorriso e sua melhora estética.

Alguns tratamentos são executados nas clínicas para ampliar a aparência do paciente, ou seja, para correção da aparência dos dentes e ajuste do sorriso. 

É o caso, por exemplo, do clareamento dental, um tratamento estético muito procurado e que transforma o visual do sorriso, tornando-o mais branco após algumas sessões.

Inclusive, esse tratamento pode ser associado ao uso do aparelho, visto que muitos pacientes desejam recuperar ou mesmo trazer um aspecto mais limpo e brilhante para os dentes após a finalização do tratamento ortodôntico.

Isso ocorre, principalmente, em casos em que o modelo fixo foi usado por muito tempo e, se aliado a uma escovação inadequada, o tratamento pode impactar na percepção do sorriso, trazendo o desejo para melhorá-lo.

Para realizar o clareamento, é necessário que o paciente tenha mais de 15 anos, não sendo destinado aos pequenos por poder fragilizar a estrutura, que está sendo devidamente formada e fortalecida.

Já em casos mais sérios, quando os dentes foram bastante danificados ao longo da vida dos pacientes, ou que ocorreram imprevistos, os procedimentos podem ser mais intensos, buscando uma correção eficiente desses problemas.

Se chegar ao ponto, por exemplo, da pessoa perder um ou mais dentes por conta de alguma doença bucal, independentemente do uso do aparelho, pode ser necessária a aplicação de implante dentário, que consiste na fixação de próteses que substituem os dentes. 

O ideal é, caso haja a necessidade de remoção dentária, avaliar com o odontologista o melhor tratamento, bem como qual o melhor momento de realizar a extração, considerando a maturidade da estrutura dental, idade do paciente e outros tratamentos que podem estar em andamento.

Assim, é crucial que desde jovens as pessoas façam o acompanhamento com o profissional, identificando possíveis problemas bucais e favorecendo tratamentos mais prolongados, como o uso do aparelho. 

Com isso, os pequenos garantirão um sorriso ainda mais saudável e alinhado no futuro.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações, dicas e conteúdos ricos sobre os cuidados com a saúde física e mental.